Psicoterapia, saúde e bem-estar

O EMDR é uma das abordagens psicoterápicas mais modernas e eficazes no tratamento de situações traumáticas, bem como de quaisquer outras que provoquem estados de sofrimento físico e psíquico às pessoas, em qualquer época da vida.

A terapia nasceu na década de 80, criada pela psicóloga americana Dra. Francine Shapiro, que percebeu em si mesma os sinais positivos da movimentação bilateral dos olhos. Basicamente, funciona através de movimentos oculares e/ou estímulos bilaterais específicos (dos hemisférios cerebrais), através dos quais há uma dessensibilização e uma reprogramação (reprocessamento) mental. As experiências, lembranças e sensações do passado, quando traumáticas, ficam registradas na mente de modo negativo e, geralmente, estão repletas de dor e sofrimento. Por intermédio da Terapia de EMDR é possível que haja uma transformação expressiva nas memórias do passado (conscientes ou não) que, em vez de permanecerem armazenadas de forma negativa no pensamento, passam a ser apenas uma lembrança do passado, porém agora sem o sofrimento que antes lhe era inerente. 

Resultados concretos

A terapia EMDR vem sendo aplicada com sucesso em cerca de 70 países. É recomendada como tratamento eficaz para trauma e transtorno de estresse pós-traumático, por várias organizações internacionais, inclusive a Organização Mundial da Saúde (OMS), que a reconheceu como o mais indicado para esses transtornos.

Dessensibilização e Reprocessamento por meio dos Movimentos Oculares

A sigla EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing) significa, em português, “Dessensibilização e Reprocessamento por meio dos Movimentos Oculares”. Através da estimulação bilateral ocorrem transformações no modo como as pessoas percebem emocionalmente seus problemas. Vivências dolorosas são reprocessadas pelo cérebro do paciente e situações, que antes eram motivos de dor e sofrimento, passam a ser vistas de uma maneira diferente, sem a mesma carga emocional que muitas vezes era paralizadora.

Como o EMDR atua no cérebro

Na foto à esquerda, antes do tratamento, é possível ver uma grande ativação do cérebro em áreas de forte repercussão emocional, quando a pessoa recordava uma situação dolorosa. Após o tratamento, a mudança na ativação, ao evocar a mesma memória, indica mudança de percepção e a tranquilização do cérebro e das reações emocionais.

© 2016 Psicologia e Saúde

capa_edited